Segunda-feira, 31 de Outubro de 2005

História do Halloween...

bruxinha1.jpg

A palavra Halloween tem origem na Igreja católica. Vem de uma corrupção contraída do dia 1 de novembro, "Todo o Dia de Buracos" (ou "Todo o Dia de Santos"), é um dia católico de observância em honra de santos. Mas, no século V DC, na Irlanda Céltica, o verão oficialmente se concluía em 31 de outubro. O feriado era Samhain, o Ano novo céltico.

Alguns bruxos acreditam que a origem do nome vem da palavra hallowinas - nome dado às guardiãs femininas do saber oculto das terras do norte (Escandinávia).

O Halloween marca o fim oficial do verão e o início do ano-novo. Celebra também o final da terceira e última colheita do ano, o início do armazenamento de provisões para o inverno, o início do período de retorno dos rebanhos do pasto e a renovação de suas leis.

Era uma festa com vários nomes: Samhain (fim de verão), Samhein, La Samon, ou ainda, Festa do Sol. Mas o que ficou mesmo foi o escocês Hallowe'en.

Uma das lendas de origem celta fala que os espíritos de todos que morreram ao longo daquele ano voltariam à procura de corpos vivos para possuir e usar pelo próximo ano. Os celtas acreditavam ser a única chance de vida após a morte. Os celtas acreditaram em todas as leis de espaço e tempo, o que permitia que o mundo dos espíritos se misturassem com o dos vivos.

hallo_88.gif

Como os vivos não queriam ser possuídos, na noite do dia 31 de outubro, apagavam as tochas e fogueiras de suas casa, para que elas se tornassem frias e desagradáveis, colocavam fantasias e ruidosamente desfilavam em torno do bairro, sendo tão destrutivos quanto possível, a fim de assustar os que procuravam corpos para possuir, (Panati).

Os Romanos adotaram as práticas célticas, mas no primeiro século depois de Cristo, eles as abandonaram.

O Halloween foi levado para os Estados Unidos em 1840, por imigrantes irlandeses que fugiam da fome pela qual seu país passava e passa ser conhecido como o Dia das Bruxas.

bruxinha.gif

Travessuras ou Gostosuras?(Trick-or-treat)

A brincadeira de "doces ou travessuras" é originária de um costume europeu do século IX, chamado de "souling" (almejar). No dia 2 de novembro, Dia de Todas as Almas, os cristãos iam de vila em vila pedindo "soul cakes" (bolos de alma), que eram feitos de pequenos quadrados de pão com groselha.

Para cada bolo que ganhasse, a pessoa deveria fazer uma oração por um parente morto do doador. Acreditava-se que as almas permaneciam no limbo por um certo tempo após sua morte e que as orações ajudavam-na a ir para o céu.

aboboras.bmp

Abóboras e velas: Jack O'Lantern (Jack da Lanterna)

A vela na abóbora provavelmente tem sua origem no folclore irlandês. Um homem chamado Jack, um alcoólatra grosseiro, em um 31 de outubro bebeu excessivamente e o diabo veio levar sua alma.

Desesperado, Jack implora por mais um copo de bebida e o diabo concede. Jack estava sem dinheiro para o último trago e pede ao Diabo que se transforme em uma moeda. O Diabo concorda. Mal vê a moeda sobre a mesa, Jack guarda-a na carteira, que tem um fecho em forma de cruz. Desesperado, o Diabo implora para sair e Jack propõe um trato: libertá-lo em troca de ficar na Terra por mais um ano inteiro. Sem opção, o Diabo concorda. Feliz com a oportunidade, Jack resolve mudar seu modo de agir e começa a tratar bem a esposa e os filhos, vai à igreja e faz até caridade. Mas a mudança não dura muito tempo, não.

No próximo ano, na noite de 31 de outubro, Jack está indo para casa quando o Diabo aparece. Jack, esperto como sempre, convence o diabo a pegar uma maçã de uma árvore. O diabo aceita e quando sobe no primeiro galho, Jack pega um canivete em seu bolso e desenha uma cruz no tronco. O diabo promete partir por mais dez anos. Sem aceitar a proposta, Jack ordena que o diabo nunca mais o aborreça. O diabo aceita e Jack o liberta da árvore.

Para seu azar, um ano mais tarde, Jack morre. Tenta entrar no céu, mas sua entrada é negada. Sem alternativa, vai para o inferno. O diabo, ainda desconfiado e se sentindo humilhado, também não permite sua entrada. Mas, com pena da alma perdida, o diabo joga uma brasa para que Jack possa iluminar seu caminho pelo limbo. Jack põe a brasa dentro de um nabo para que dure mais tempo e sai perambulando. Os nabos na Irlanda eram usados como seu "lanternas do Jack" originalmente. Mas quando os imigrantes vieram para a América, eles acharam que as abóboras eram muito mais abundantes que nabos. Então Jack O'Lantern (Jack da Lanterna). na América passa a ser uma abóbora, iluminada com uma brasa.

Sua alma penada passa a ser conhecida como Jack O'Lantern (Jack da Lanterna). Quem presta atenção vê uma luzinha fraca na noite de 31 de outubro. É Jack, procurando um lugar.

Enganara Satã ao subir uma árvore. Jack então esculpiu uma imagem de uma cruz no tronco da árvore, prendendo o diabo para cima a árvore. Jack fez um acordo com o diabo, se ele nunca mais o tentasse novamente, ele o deixaria árvore abaixo.

De acordo com o conto de povo, depois de Jack morrer, ele a entrada dele foi negada no Céu, por causa de seus modos de malvado, mas ele teve acesso também negado ao Inferno, porque ele enganou o diabo. Ao invés, o diabo deu a ele uma brasa única para iluminar sua passagem para a escuridão frígida. A brasa era colocada dentro de um nabo para manter por mais tempo.

Os nabos na Irlanda eram usados como seu "lanternas do Jack" originalmente. Mas quando os imigrantes vieram para a América, eles acharam que as abóboras eram muito mais abundantes que nabos. Então o Jack O'Lantern (Jack da Lanterna), na América, era em uma abóbora, iluminada com uma brasa.

bruxa.jpg

Bruxas

As bruxas têm papel importantíssimo no Halloween. Não é à toa que ela é conhecida como "Dia das Bruxas" em português. Segundo várias lendas, as bruxas se reuniam duas vezes por ano, durante a mudança das estações: no dia 30 de abril e no dia 31 de outubro. Chegando em vassouras voadoras, as bruxas participavam de uma festa chefiada pelo próprio Diabo. Elas jogavam maldições e feitiços em qualquer pessoa, transformavam-se em várias coisas e causavam todo tipo de transtorno.

Diz-se também que para encontrar uma bruxa era preciso colocar suas roupas do avesso e andar de costas durante a noite de Halloween. Então, à meia-noite, você veria uma bruxa!

A crença em bruxas chegou aos Estados Unidos com os primeiros colonizadores. Lá, elas se espalharam e misturaram-se com as histórias de bruxas contadas pelos índios norte-americanos e, mais tarde, com as crenças na magia negra trazidas pelos escravos africanos.

O gato preto é constantemente associado às bruxas. Lendas dizem que bruxas podem transformar-se em gatos. Algumas pessoas acreditavam que os gatos eram os espíritos dos mortos. Muitas superstições estão associadas aos gatos pretos. Uma das mais conhecidas é a de que se um gato preto cruzar seu caminho, você deve voltar pelo caminho de onde veio, pois se não o fizer, é azar na certa.

terra.jpg

Halloween pelo mundo

A festa de Halloween, na verdade, equivale ao Dia de Todos os Santos e o Dia de Finados, como foi absorvido pela Igreja Católica para apagar os vínculos pagãos, origem da festa. Os países de origem hispânica comemoram o Dia dos Mortos e não o Halloween. No Oriente, a tradição é ligada às crenças populares de cada país.

Espanha
Como no Brasil, comemora-se o Dia de Todos os Santos em 1º de novembro e Finados no dia seguinte. As pessoas usam as datas para relembrar os mortos, decorando túmulos e lápides de pessoas que já faleceram.

Irlanda
A Irlanda é considerada como o país de origem do Halloween. Nas áreas rurais, as pessoas acedem fogueiras, como os celtas faziam nas origens da festa e as crianças passeiam pelas ruas dizendo o famoso “tricks or treats” (doces ou travessuras).

México
No dia 1º comemora-se o Dia dos Anjinhos, ou Dia dos Santos Inocentes, quando as crianças mortas antes do batismo são relembradas.

O Dia dos Mortos (El Dia de los Muertos), 2 de novembro, é bastante comemorado no México. As pessoas oferecem aos mortos aquilo que eles mais gostavam: pratos, bebidas, flores. Na véspera de Finados, família e amigos enfeitam os túmulos dos cemitérios e as pessoas comem, bebem e conversam, esperando a chegada dos mortos na madrugada.
Uma tradição bem popular são as caveiras doces, feitas com chocolate, marzipã e açúcar.

Tailândia
Nesse país, existe o festival Phi Ta Khon, comemorado com música e desfiles de máscaras acompanhados pela imagem de Buda. Segundo a lenda, fantasmas e espíritos andam entre os homens. A festividade acontece no primeiro dia das festas budistas.

Alguns significados simbólicos

a abóbora: simboliza a fertilidade e a sabedoria

a vela: indica os caminhos para os espíritos do outro plano astral.

o caldeirão: fazia parte da cultura - como mandaria a tradição. Dentro dele, os convidados devem atirar moedas e mensagens escritas com pedidos dirigidos aos espíritos.

a vassoura: simboliza o poder feminino que pode efetuar a limpeza da eletricidade negativa. Equivocadamente, pensa-se que ela servia para transporte das bruxas.

as moedas: devem ser recolhidas no final da festa para serem doadas aos necessitados.

os bilhetes com os pedidos, devem ser incinerados para que os pedidos sejam mais rapidamente atendidos, pois se elevarão através da fumaça.

a aranha - simboliza o destino e o fio que tecem suas teias, o meio, o suporte para seguir em frente.

o morcego - simbolizam a clarividência, pois que vêem além das formas e das aparências, sem necessidades da visão ocular. Captam os campos magnéticos pela força da própria energia e sensibilidade.

o sapo - está ligado à simbologia do poder da sabedoria feminina, símbolo lunar e atributo dos mortos e de magia feminina.

gato preto - símbolo da capacidade de meditação e recolhimento espiritual, autoconfiança, independência e liberdade. Plena harmonia com o Unirverso

Cores:

Laranja - cor da vitalidade e da energia que gera força. Os druidas acreditavam que nesta noite, passagem para o Ano Novo, espíritos de outros planos se aproximavam dos vivos para vampirizar a energia vital encontrada na cor laranja.

Preto - cor sacerdotal das vestes de muitos magos, bruxas, feiticeiras e sacerdotes em geral. Cor do mestre.

Roxo - cor da magia ritualística.

Happy Halloween!!!

magia4.gif

publicado por ReikiAna às 00:34

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Este é o momento mais importante de sua vida!!!

A-167.2.jpeg

Cada momento é um momento único. Você jamais terá um momento igual ao outro. Por mais que queiramos repeti-lo, por mais que nos esforcemos, jamais poderemos fazê-lo, pois a cada momento nossa compreensão se modifica. Se amanhã você tornar a ler um dos artigos deste blog, você terá uma compreensão diferente de tudo o que nele está escrito.

E, no momento em que passamos a ter essa compreensão, "de que cada momento é único", e passamos a valorizar cada momento, passamos a viver no presente e a aceitá-lo como um presente divino. Quando deixamos de focalizar o passado e o futuro, passamos a viver plenamente, e quando vivemos plenamente, não mais existem razões para sermos ansiosos. A ansiedade se dissolve.

Devemos ter consciência de que o passado jamais retornará, e que, o que aconteceu no passado, não pode ser modificado, porém, podemos modificar as consequências desse passado. O presente é glorioso e nós possuímos um incrivel potencial transformador. Podemos transformar qualquer situação, seja ela qual for, pois a repercussão de uma situação em nossa vida, depende da compreensão que temos dela.

(Manual prático de meditação - João Eduardo Fialho

br01.gif

publicado por ReikiAna às 00:06

link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 30 de Outubro de 2005

Livro "A viagem interior"

Felicidade1.jpg

As mensagens do corpo através dos chakras

Cada um de nós tem um corpo físico, mas tem também um corpo energético.

Todos nós precisamos de ar, de alimento e de energia para vivermos na Terra.

Todos nós temos mais ou menos energia que circula mais ou menos bem no nosso corpo.

Todos nós temos ainda um lado yang (o lado masculino, activo, o lado da vontade) e um lado Yin (o lado feminino, passivo, receptivo, o lado do espírito). Para os destros de nascença, o lado yang está associado ao lado direito e o lado yin ao lado esquerdo. Para os canhotos é o inverso.

Quanto ao nível energético, todos temos centros de energia dentro de nós que permitem a circulação dessa energia. São os chakras (palavra sânscrita que significa "roda").

chakras.jpg

Cada chakra está associado a uma parte da nossa vida, parte da nossa consciência.

A cada chakra estão igualmente associados : uma cor, uma nota musical, determinados órgãos, funções e sistemas físicos, uma glândulo endócrina, um plexo de nervos, um sentido, um elemento, um corpo subtil, e um tipo de pedra.

Por isso, quando uma parte do seu corpo ou uma dada função estão afectados, sabe exactamente que parte da sua vida necessita de uma mudança.

O seu espírito atrai a sua atenção para essa parte da sua vida que, na sua opinião, não funciona de uma forma ideal, e envia-lhe mensagens. Cabe-lhe a si fazer as mudanças necessárias e obter algo de melhor para si. Se não ouvir uma determinada mensagem, o seu espírito envia-lhe uma mais forte, e mais outra...e assim sucessivamente até que compreenda.

Cabe-lhe a si tornar um sintoma em algo de positivo.

É um sentimento maravilhoso saber que afinal pode fazer alguma coisa e que pode parar de se sujeitar às coisas. É como retomar o volante, assumir a direcção da sua vida, parar de andar aos encontrões e parar de se sentir incapaz de agir.

A cura passa por uma mudança, uma transformação.

TUDO PODE SER CURADO.

Possui dentro de si todas as possibilidades para transformar tudo aquilo que era negativo em positivo, independentemente do ponto a que tenha chegado. A decisão é sua.

Vamos então conhecer um...a...um... todos os chakras...(continua)

barra_floral02.gif



publicado por ReikiAna às 23:28

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 28 de Outubro de 2005

Sente-se e espere...deixe a sua raiva secar...

Sentada.jpeg

Mariana ficou toda feliz porque ganhou de presente um joguinho de chá, todo azul, com bolinhas amarelas. No dia seguinte, Julia sua amiguinha, veio bem cedo convidá-la para brincar.

Mariana não podia porque ia sair com sua mãe naquela manha. Julia, então, pediu a coleguinha que lhe emprestasse o seu conjuntinho de chá para que ela pudesse brincar sozinha na garagem do prédio. Mariana não queria emprestar, mas, com a insistência da amiga, resolveu ceder, fazendo questão de demonstrar todo o seu ciúme por aquele brinquedo tão especial.

Ao regressar do passeio, Mariana ficou chocada ao ver o seu conjuntinho de chá jogado no chão. Faltavam algumas xícaras e a bandejinha estava toda quebrada. Chorando e muito nervosa, Mariana desabafou: Esta vendo, mãe, o que a Julia fez comigo?

Emprestei o meu brinquedo, ela estragou tudo e ainda deixou jogado no chão. Totalmente descontrolada, Mariana queria, porque queria, ir ao apartamento de Julia pedir explicações. Mas a mãe, com muito carinho, ponderou:

- Filhinha, lembra daquele dia quando você saiu com seu vestido novo todo branquinho e um carro, passando, jogou lama em sua roupa? Ao chegar a sua casa você queria lavar imediatamente aquela sujeira, mas a vovó não deixou. Você lembra do que a vovó falou?

Ela falou que era para deixar o barro secar primeiro. Depois ficava mais fácil limpar.

Pois é, minha filha! Com a raiva e a mesma coisa. Deixa a raiva secar primeiro. Depois fica bem mais fácil resolver tudo.

Mariana não entendeu muito bem, mas resolveu ir para a sala ver televisão. Logo depois alguém tocou a campainha. Era Julia, toda sem graça, com um embrulho na mão. Sem que houvesse tempo para qualquer pergunta, ela foi dizendo:

- Mariana, sabe aquele menino mau da outra rua que fica correndo atras da gente? Ele veio querendo brincar comigo e eu não deixei. Ai ele ficou bravo e estragou o brinquedo que você havia me emprestado.

Quando eu contei para a minha mãe ela ficou preocupada e foi correndo comprar outro brinquedo igualzinho para você. Espero que você não fique com raiva de mim. Não foi minha culpa.

Não tem problema, disse Mariana, minha raiva ja secou. E, tomando a sua coleguinha pela mão, levou-a para o quarto para contar história do vestido novo que havia sujado de barro.

Por isso deixe a sua raiva secar...

br10.gif

publicado por ReikiAna às 20:11

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Maria José, dedico a ti, com muito carinho - O SOL E A LUA

plenitude1.jpeg

Quando o SOL e a LUA se encontraram pela primeira vez, se apaixonaram perdidamente e a partir daí começaram a viver um grande amor.

Acontece que o mundo ainda não existia e no dia que Deus resolveu criá-lo, deu-lhes então o toque final ...o brilho !

Ficou decidido também que o SOL iluminaria o dia e que a LUA iluminaria
a noite, sendo assim, seriam obrigados a viverem separados.

Abateu-se sobre eles uma grande tristeza quando tomaram conhecimento de que nunca mais se encontrariam.

A LUA foi ficando cada vez mais amargurada, mesmo com o brilho que Deus havia lhe dado, ela foi se tornando solitária.

O SOL por sua vez havia ganhado um título de nobreza "ASTRO REI", mas isso também não o fez feliz.


Deus então chamou-os e explicou-lhes:

Vocês não devem ficar tristes, ambos agora já possuem um brilho próprio.

Você LUA, iluminará as noites frias e quentes, encantará os enamorados e será diversas vezes motivo de poesias.

Quanto a você SOL , sustentará esse título porque será o mais importante dos astros, iluminará a terra durante o dia, fornecerá calor para o ser humano e a sua simples presença fará as pessoas mais felizes.

A LUA entristeceu-se muito com seu terrível destino e chorou dias a fio...já o SOL ao vê-la sofrer tanto, decidiu que não poderia deixar-se abater pois teria que dar-lhe forças e ajudá-la a aceitar o que havia sido decidido por Deus.

mg73.gif

No entanto sua preocupação era tão grande que resolveu fazer um pedido a ELE:
Senhor, ajude a LUA por favor, ela é mais frágil do que eu, não suportará a solidão...
E Deus em sua imensa bondade criou então as estrelas para fazerem companhia a ela.

A LUA sempre que está muito triste recorre as estrelas que fazem de tudo
para consolá-la, mas quase sempre não conseguem.

Hoje eles vivem assim....separados, o SOL finge que é feliz, a LUA não
consegue esconder que é triste.

O SOL ainda esquenta de paixão pela LUA e ela ainda vive na escuridão da saudade.

Dizem que a ordem de Deus era que a LUA deveria ser sempre cheia e luminosa, mas ela não consegue isso....

porque ela é mulher, e uma mulher tem fases.

Quando feliz consegue ser cheia, mas quando infeliz é minguante e quando minguante nem sequer é possível ver o seu brilho.

LUA e SOL seguem seu destino, ele solitário mas forte, ela acompanhada das estrelas, mas fraca.

Humanos tentam a todo instante conquistá-la, como se isso fosse possível. Vez por outra alguns deles vão até ela e voltam sempre sozinhos, nenhum deles jamais conseguiu trazê-la até a terra, nenhum deles realmente conseguiu conquistá-la, por mais que achem que sim.

Acontece que Deus decidiu que nenhum amor nesse mundo seria de todo impossível, nem mesmo o da LUA e o do SOL... e foi aí então que ele criou o eclipse.

Hoje SOL e LUA vivem da espera desse instante, desses raros momentos que lhes foram concedidos e que custam tanto a acontecer.

Quando você olhar para o céu a partir de agora e ver que o SOL encobriu a LUA é porque ele deitou-se sobre ela e começaram a se amar e é ao ato desse amor que se deu o nome de eclipse.

Importante lembrar que o brilho do êxtase deles é tão grande que
aconselha-se não olhar para o céu nesse momento, seus olhos podem cegar de ver tanto amor.

Bem, mas na terra também existe sol e lua... e portanto existe eclipse.... mas essa era a única parte da história que tu já sabias, não era?

Espero que gostes....muitos beijinhos luminosos

br52.gif

publicado por ReikiAna às 19:56

link do post | comentar | favorito
|

O que é a doença? por Mauro Kwitko - Médico e Psicoterapeuta

rifa9.jpg

"Muito se tem falado hoje em dia sobre a origem real das doenças físicas, ou melhor dito, as manifestações patológicas que surgem no nosso corpo físico. Alguns médicos da Medicina tradicional ainda relutam em aceitar e integrar ao seu cotidiano novas maneiras de pensar a doença, movidos por um receio difícil de entender e, teimosamente, preferem deixar isso completamente de lado, ou a cargo dos psicólogos e psiquiatras. Mas outros já estão abrindo-se para a Medicina do futuro e estão estendendo seus raciocínios para a integração Espírito-mente-corpo, a união das várias maneiras de ajudar um doente.

Mas, embora mesmo entre os leigos já se acredite na origem ou, pelo menos, na grande influência do nosso jeito de ser em nossas doenças físicas, poucas pessoas entendem como isso acontece. E os raciocínios simplistas são de que o nervosismo tem relação com a gastrite, os problemas afetivos com o infarto do miocárdio, etc. Mas de que modo o nosso jeito de ser, os nossos pensamentos e sentimentos, a nossa maneira de viver a vida podem provocar doenças físicas? A Física Quântica já provou que a matéria é apenas uma condensação de energia, ou seja, energia vibrando numa certa freqüência que possibilita ao olho humano visualizá-la, o que implica dizer que a diferença entre algo visível e algo invisível é apenas a sua freqüência vibratória, e então nós vemos o que é "visível" e não vemos o que é "invisível". Tudo resume-se à capacidade de percepção do olho humano e, claro, ao desenvolvimento da percepção visual de cada um, dai existirem os videntes, que vêm o “invisível".

Mesmo sendo de amplo conhecimento que matéria é uma condensação energética, a maioria das pessoas tem enorme dificuldade de integrar o conhecimento de que nós somos um mecanismo energético, com diversas estruturas interagindo entre si, vórtices (chakras), canais, cores, enfim, uma circulação “invisível” em incrível movimentação, em constante modificação. Conhecendo esses corpos e os vórtices, os quais tentam manter uma regulação energética entre si e, principalmente, entendendo as repercussões de problemas em sua estrutura ao nível do corpo denso, pode-se começar a assimilar realmente o que significam as "doenças" que surgem nesse corpo visível. É tudo uma questão de "limpeza" ou de "sujeira" a nível energético e de circulação rápida ou lenta, livre ou bloqueada, nos corpos mental e emocional e a sua repercussão no duplo etérico, e daí para o corpo físico.

É como a diferença entre um curso de água que flui livre, rapidamente e sem bloqueios, de um outro que flui lentamente, com bloqueios e dificuldades de escoamento. É mais ou menos assim que acontece a nível energético em nossos corpos. Quando a Energia flui livremente, quando não há toxinas e impurezas que lhe obstaculizam o fluxo, ou pelo menos, quando a circulação energética não tem bloqueios importantes, o ser humano encontra-se num estado que deveria ser o normal e usual para todos, mas isso é bastante raro. A maioria de nós possui essas toxinas, impurezas, obstáculos e bloqueios importantes em sua circulação energética, mas de onde vêm? Dos nossos pensamentos e sentimentos, quer tenham se originado nessa encarnação, quer tenham vindo integrados a esses corpos das nossas outras encarnações. E o que eles provocam? Uma diminuição da velocidade de fluxo da circulação energética, uma dificuldade de escoamento, zonas de difícil passagem, áreas de acúmulo energético. E onde? Nas partes do corpo que possuem uma sintonia com os pensamentos e sentimentos prejudiciais, dai a relação com locais e órgãos do corpo físico, como o coração, o fígado, os rins, o estômago, as articulações, as mãos, os pés, etc...

Os nossos pensamentos e sentimentos, as nossas características de personalidade e o nosso modo de viver são os causadores das “doenças físicas". E então é óbvio que os tratamentos tradicionais endereçados apenas ao corpo físico, seus órgãos e partes, não podem ter uma ação realmente curativa, e é o que se observa na prática médica tradicional, ortodoxa.

Sendo as doenças provocadas originalmente em nossos pensamentos e sentimentos, a verdadeira cura tem que se endereçar a esses efeitos primários e isso pode ser feito de várias maneiras: os tratamentos psicológicos, tradicionais ou mais modernos, a utilização de estímulos energéticos endereçados a essas estruturas também energéticas, como a Homeopatia, a Terapia Floral, o Reiki, etc.

A doença deve ser vista como a conseqüência de um equívoco, de um erro, e apenas a correção deste equívoco pode propiciar a verdadeira cura. Esse erro, na maior parte das vezes, vem de uma falta de sintonia da nossa personalidade encarnada com a nossa Essência, ou seja, os raciocínios, modo de sentir e de agir, enquanto aqui encarnados, não têm uma concordância com o nosso bem supremo. Essas "infrações" repercutem energeticamente nos corpos sutis e daí repercutem no corpo físico. A cura real, íntima, vem da retificação dessas questões patogênicas e isso pode ser atingido por um trabalho profundo de autoconhecimento, de interiorização, e um aprofundamento nas questões espirituais.

Se a doença vem da raiva e atinge, por exemplo, o fígado, a vesícula biliar ou o cérebro, a cura da raiva pode ocasionar a cura da repercussão física, mas, principalmente, curar o corpo emocional e o corpo mental e isso é o mais importante, pois são esses corpos que permanecerão conosco depois do desencarne e ao reencarnarmos novamente. Isso é uma verdadeira cura, enquanto que uma “cura" dos órgãos afetados ou uma extirpação cirúrgica é um modo caridoso de tratar, mas paliativo. Nunca devemos nos esquecer que o único corpo descartável que possuímos é o corpo físico, que deve ser bem tratado e cuidado, mas não pode constituir-se no enfoque principal dos métodos de cura. Os corpos que permanecerão conosco devem merecer a nossa atenção, no meu modo de ver, até mais do que o corpo visível.

Se a doença vem da mágoa, do ressentimento, da tristeza, dos medos, da falta de confiança, do orgulho, da vaidade, etc., é isso que deve ser curado. Dependendo da expectativa do profissional de cura, o enfoque visará "curar" apenas o corpo físico ou os corpos mais sutis com repercussão no físico.

Os terapeutas espiritualistas, médicos ou não, não devem perder de vista o objetivo da encarnação que é a auto-evolução, e que a grande causa da doença da humanidade encarnada é esquecer que está aqui de passagem, em busca da melhoria de certas características que ainda necessitam do confronto com as situações da vida encarnada para a sua exteriorização. E então viver-se como se realmente tivéssemos nascido (a chegada) e fôssemos morrer (a saída), sem saber que a nossa maneira de pensar e de sentir já são nossas faz muito tempo, de antes de aqui chegarmos, e que quando são negativas e prejudiciais estão nos revelando claramente o que descemos para curar, faz com que a personalidade encarnada viva quase de uma maneira ilusória, apegada à superficialidade das coisas, interessada mais em aspectos fúteis e vazios, temporários e sem importância, quando deveria endereçar sua atenção e seu foco existencial ao verdadeiro objetivo de sua breve estadia nesse plano terreno: a correção de suas imperfeições.
Esse erro de enfoque faz com que geralmente o que viemos para curar, a raiva, a tristeza, a mágoa, o egoísmo, etc., permaneça em nossos corpos emocional e mental, e pior, muitas vezes até amplificado por novos erros e enganos.

A doença do ser humano é a mesma doença da humanidade, a falta da verdadeira visão sobre suas questões profundas e transcendentais. E, a par dos enormes benefícios da Medicina alopática, ela tem um aspecto muito prejudicial, a nível consciencial, que é alienar o doente de seus processos patológicos, transformando-o numa vítima da doença e não um participante ativo de todo o processo. Não é uma questão de culpa por sua doença e, sim, de responsabilidade. O doente revela-se em sua doença, ele e a sua doença são a mesma coisa. Por isso a cura das doenças do Homem virá junto com a cura da distorcida visão da humanidade, em relação a essas questões. A seu tempo, em alguns séculos, isso irá se formatando e teremos um dia um novo Homem encarnado sobre a Terra, construindo um mundo de amor, de paz e de progresso, trazendo consigo a verdadeira justiça, a fraternidade e a igualdade. Nesse dia, as doenças físicas serão raras, pois estarão praticamente curadas num nível sutil, o dos pensamentos e dos sentimentos."

(extraido de "www.somostodosum.ig.com.br)

publicado por ReikiAna às 17:20

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

...

twy-reiki.jpg

Quem não gosta de ter uma vida saudável em todos os aspectos: físico, mental, emocional e espiritual ?

Para obtermos o nosso equilíbrio, utilizamos de várias técnicas ou meios de fazê-lo tais como: meditação, oração, terapias alternativas (Reiki, cristais, cromoterapia, reflexologia... ), praticando a caridade de alguma forma, enfim, procurando algo que nos complemente e torne a nossa vida mais plena.

Algumas vezes procuramos esses caminhos somente em momentos de dor, mas bom seria se essa busca ocorresse pelo amor.

Eu como terapeuta Reikiana, procuro auxiliar as pessoas através do Reiki que é um método científico de cura terapêutica alternativa, reconhecida pela OMS (Organização Mundial de Saúde), orgão da ONU (Organização das Nações Unidas).

Essa energia é penetrante e relaxante, restaurando a integridade do receptor e
liberando os bloqueios nocivos.

Reiki ajuda na redução do Stress, alivia a dor, e resgata a coragem a auto confiança e a alegria de viver.

Essa energia funciona como catalizadora da vida em busca da sua plenitude, actuando em todo o Ser.

Pode ser aplicado em todos os seres vivos(homens, animais e plantas).

Experimente e sinta os seus efeitos!

Reiki

A luz em tuas mãos

As mãos em teu coração

publicado por ReikiAna às 16:05

link do post | comentar | favorito
|

Reiki e Cristais

deusaa.jpg

CRISTAIS

Luz condensada. A maior manifestação de luz no plano físico, sendo os melhores condutores e amplificadores de energia.

Tratamento de Reiki com cristais "Sinta o poder dos cristais na sua vida"


publicado por ReikiAna às 16:01

link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 22 de Outubro de 2005

...

krishna-boy.jpg


PEQUENA CANÇÃO DE KRISHNA

Krishna, que saudade de Você!
Daquelas auroras, quando, no alto da montanha,
Você despertou minha consciência.

Então, eu me elevei no Samadhi!
E vi você no Céu, nas Estrelas, na Terra,
Em meu coração, no coração de todos e em Tudo!

Agora, dentro do corpo, meu espírito sente saudades,
Da Sua Luz e do Seu toque.
Mas, em meu coração, eu sinto o Seu sorriso!

E você me diz: "Eu estou aqui! Não se sinta sozinho"!
Então, a saudade se vai, e só fica o amor.

Nunca estamos sozinhos...

* Samadhi - Consciência cósmica

publicado por ReikiAna às 23:24

link do post | comentar | favorito
|

Doença como parte do programa reencarnatório - por "Osvaldo Shimora"

escadas.jpg

“O fato da ciência estruturar-se em bases orgânicas, biológicas e,
portanto, materialistas, não leva em consideração a existência da alma.
Desta forma, a visão mecanicista do Ser impede qualquer
tentativa de incursão no psiquismo de profundidade.
Portanto, muitas enfermidades têm origens mais complexas,
nem sempre diagnosticadas pela medicina”.

"A T.V.P (Terapia de Vidas Passadas), como método psicoterápico de autoconhecimento e de cura, é bastante indicada para casos de doenças orgânicas cuja etiologia (causa) não foi diagnosticada, encontrada pela medicina oficial.

Muitos pacientes que me procuram passaram por vários profissionais da área de saúde (médicos, psicólogos, psiquiatras), submeteram-se a vários exames médicos e não encontraram nenhuma causa orgânica. Em verdade, muitas doenças têm origem mais complexa e não diagnosticada pela medicina por se estruturar apenas em bases biológica, organicista. Essas doenças, na verdade, são decorrentes da enfermidade da alma, isto é, provêm do espírito (alma), refletindo-se no soma (corpo físico). Portanto, a ciência materialista, que não vê senão o corpo físico e não aceita a existência da alma, não pode compreender a profundidade do assunto.

Em Enfermidades da Alma, Vitor Ronaldo Costa escreve que “A ciência lida com fatos palpáveis, concretos, passíveis de serem verificados em laboratório. Portanto, aquilo que foge desse parâmetro de verificação torna-se de difícil aceitação como acontece com as patologias de ordem espiritual”. Desta forma, cada caso, a meu ver, merece ser analisado em profundidade. Na maioria dos casos, a vinda do paciente em meu consultório estava dentro do seu programa reencarnatório, ou seja, a doença faz parte de seu destino, de seu propósito de vida (programa reencarnatório). Em verdade, foi o próprio paciente que, antes da reencarnação atual, quando estava no período entre vidas (mundo espiritual), pediu para vir com a doença para o seu processo de aprendizagem, de evolução espiritual. No entanto, ao reencarnar, a barreira da memória (amnésia) que é um mecanismo de defesa psíquico, é acionado automaticamente e o faz não lembrar de suas vidas passadas. Allan Kardec, o Codificador da Doutrina Espírita, chamava de “véu do esquecimento” a essa barreira da memória que é uma das Leis Espirituais: a Lei do esquecimento, à qual todos estamos sujeitos nesta vida terrena.

Desta forma, antes de passar pela TVP, muitos pacientes se sentiam revoltados pelo fato de terem vindo com uma determinada doença. Por conta dessa barreira, não lembravam que eles próprios pediram para inserir essa doença no seu programa reencarnatório, só vindo a se lembrar ao passar pela terapia regressiva. Portanto, a dor e o sofrimento, decorrentes de sua doença, são necessários à evolução espiritual do paciente.

Quero esclarecer aqui que a finalidade do sofrimento causado pela doença não é punitiva, mas, sim, educativa. Portanto, não é um castigo de Deus. Em verdade, ao passar pelo processo regressivo da TVP, o paciente se recorda que prejudicou o seu semelhante numa vida passada de maneira grave e que precisa sentir na “própria pele” a dor que o outro sentiu, a fim de reeducar-se. Assim quando posteriormente a Vida o colocasse numa situação semelhante àquela do passado, ele não fosse repetir os mesmos erros de outrora.

É a Lei do Retorno (Ação e Reação), uma das maiores Leis do Universo, a qual ninguém pode infringir. Existem na natureza as Leis da Física, como por exemplo, a Lei da Gravidade que puxa todos os corpos para o centro da Terra. Desta forma, ao desafiá-la pulando do 20º andar de um prédio, sofreremos as óbvias conseqüências. O mesmo ocorre também com as Leis Espirituais. Cada ação infringida contra o semelhante é revertida numa reação de igual intensidade que aparece na forma de dor, doenças, sofrimentos.

A T.V.P (Terapia de Vidas Passadas), como método psicoterápico de autoconhecimento e de cura, é bastante indicada para casos de doenças orgânicas cuja etiologia (causa) não foi diagnosticada, encontrada pela medicina oficial.
Muitos pacientes que me procuram passaram por vários profissionais da área de saúde (médicos, psicólogos, psiquiatras), submeteram-se a vários exames médicos e não encontraram nenhuma causa orgânica. Em verdade, muitas doenças têm origem mais complexa e não diagnosticada pela medicina por se estruturar apenas em bases biológica, organicista. Essas doenças, na verdade, são decorrentes da enfermidade da alma, isto é, provêm do espírito (alma), refletindo-se no soma (corpo físico). Portanto, a ciência materialista, que não vê senão o corpo físico e não aceita a existência da alma, não pode compreender a profundidade do assunto.

Em Enfermidades da Alma, Vitor Ronaldo Costa escreve que “A ciência lida com fatos palpáveis, concretos, passíveis de serem verificados em laboratório. Portanto, aquilo que foge desse parâmetro de verificação torna-se de difícil aceitação como acontece com as patologias de ordem espiritual”. Desta forma, cada caso, a meu ver, merece ser analisado em profundidade. Na maioria dos casos, a vinda do paciente em meu consultório estava dentro do seu programa reencarnatório, ou seja, a doença faz parte de seu destino, de seu propósito de vida (programa reencarnatório). Em verdade, foi o próprio paciente que, antes da reencarnação atual, quando estava no período entre vidas (mundo espiritual), pediu para vir com a doença para o seu processo de aprendizagem, de evolução espiritual. No entanto, ao reencarnar, a barreira da memória (amnésia) que é um mecanismo de defesa psíquico, é acionado automaticamente e o faz não lembrar de suas vidas passadas. Allan Kardec, o Codificador da Doutrina Espírita, chamava de “véu do esquecimento” a essa barreira da memória que é uma das Leis Espirituais: a Lei do esquecimento, à qual todos estamos sujeitos nesta vida terrena.

Desta forma, antes de passar pela TVP, muitos pacientes se sentiam revoltados pelo fato de terem vindo com uma determinada doença. Por conta dessa barreira, não lembravam que eles próprios pediram para inserir essa doença no seu programa reencarnatório, só vindo a se lembrar ao passar pela terapia regressiva. Portanto, a dor e o sofrimento, decorrentes de sua doença, são necessários à evolução espiritual do paciente.

Quero esclarecer aqui que a finalidade do sofrimento causado pela doença não é punitiva, mas, sim, educativa. Portanto, não é um castigo de Deus. Em verdade, ao passar pelo processo regressivo da TVP, o paciente se recorda que prejudicou o seu semelhante numa vida passada de maneira grave e que precisa sentir na “própria pele” a dor que o outro sentiu, a fim de reeducar-se. Assim quando posteriormente a Vida o colocasse numa situação semelhante àquela do passado, ele não fosse repetir os mesmos erros de outrora.

É a Lei do Retorno (Ação e Reação), uma das maiores Leis do Universo, a qual ninguém pode infringir. Existem na natureza as Leis da Física, como por exemplo, a Lei da Gravidade que puxa todos os corpos para o centro da Terra. Desta forma, ao desafiá-la pulando do 20º andar de um prédio, sofreremos as óbvias conseqüências. O mesmo ocorre também com as Leis Espirituais. Cada ação infringida contra o semelhante é revertida numa reação de igual intensidade que aparece na forma de dor, doenças, sofrimentos."

Fonte : ("www.somostodosum.ig.com.br")

barra_glitter02.gif



publicado por ReikiAna às 22:48

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30
31

.posts recentes

. ...

.

VIAGEM IN...

. Novo Blog

. A solução é o AMOR

. Reiki I - Praia Torre, di...

. ...

.

Combinadi...

.

O CAMINHO...

.

Partilha ...

.

REIKI PAR...

.arquivos

. Agosto 2012

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2007

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds